05/07/2017

O número de brasileiros maduros ou idosos é crescente. Conforme os dados recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil, o percentual de pessoas com mais de 60 anos alcança 12,5%. A previsão para 2050 é que essa população chegue a 30%. As informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também seguem nesta direção: estima-se que em 2030 os idosos deverão somar 41,5 milhões, representando 18,6% do conjunto populacional. Para não sofrermos os impactos destas estatísticas no futuro, é importante planejarmos as nossas finanças pessoais o quanto antes. Neste contexto, a previdência complementar ganha cada vez mais importância.

Sabemos que viver mais é algo extremamente positivo e traz diversas vantagens. A longevidade também implica em uma necessidade maior de organização dos recursos financeiros, de modo que sejam suficientes para manter a qualidade de vida ao deixarmos a vida laboral, principalmente considerando o teto da Previdência Social.

Neste sentido, o plano de previdência complementar representa uma alternativa para a formação de uma poupança de longo prazo.

Longevidade: por que poupar cada vez mais cedo?